terça-feira, 25 de abril de 2017

Resenha - Bonequinha De Luxo

Título: Bonequinha de Luxo                    
Autora: Truman Capote
Páginas: 145
Ano: 2005
Editora: Companhia das Letras
Pontuação:      

Sinopse: Em Bonequinha de Luxo, novela de 1958, escrita com mão levíssima, o escritor norte-americano Truman Capote acompanha as estripolias de Holly Golightly, a jovem que escapa da vida besta do interior para tentar a sorte na Nova York dos anos da Segunda Guerra. Moça de hábitos e horários nada ortodoxos, Holly põe em polvorosa uma galeria de personagens que vai de um mafioso preso a um escritor inédito, passando por um fotógrafo japonês, uma modelo gaga e uma cantora rouca – para não falar de um certo diplomata brasileiro. Tudo isso sem abandonar a visão de uma vida de luxo, calma e volúpia, se possível bem longe do Texas e bem perto da joalheria Tiffany’s. Celebrizada nas telas de cinema por Audrey Hepburn no filme homônimo de Blake Edwards, Holly é uma das criações mais felizes de Capote, mistura inextricável de ninfa diáfana e moça roçuda, tão viva e sedutora hoje como quase meio século atrás.




Tem um tempinho que queria assistir o filme que é um clássico, assisti e me apaixonei, ai então uma amiga me contou que havia um livro, fui correndo querer ler. E quem era o autor dessa novela? Truman Capote, então “matei dois coelhos em uma cajadada só”, pois era louca para conhecer este autor.

O livro é narrado por Paul Varjak ( Fred, para a pequena Holly), ele irá nos contar a vida da jovem Holly Golightly uma bonequinha de luxo. Ele é um escritor que se muda para o mesmo prédio de Holly, e como todos os homens ele se encanta por ela.

De repente, olhando os cambiantes do cabelo de Holly brilhando a luz alaranjada das folhas, amei-a o suficiente para me esquecer de mim, dos meus desesperos de autopiedade, e sentir-me feliz por lhe ir acontecer uma coisa que ela julgava boa.

Holly saiu cedo de casa, carregando a vontade de mudar de vida e se casar com um milionário, chega à Nova York e vê que as coisas não são tão fáceis quanto ela pensa, vira acompanhante de luxo e quando as coisas não andam nada bem, vai olhar as vitrines da Joalheria Tifany’s, pois isso a acalma.

Eu não quero ter nada até saber que encontrei um lugar onde eu e as coisas nos completamos. Ainda não sei muito bem quando é que isso será. Mas sei como vai ser.

E assim se discorre a obra vemos a relação de amizade entre Paul e Holly crescer e ao mesmo tempo ele vai conseguindo desvendar essa mulher única, exótica, um tanto inocente, pois veremos ela se metendo em muita confusão, fútil talvez, aqui na obra temos uma Holly muito tristonha ao contrario do filme onde vemos a personagem mais alegre.

O que dizer do livro e do filme? É diferente sim, mas temos muitas vezes falas fieis ao livro, como temos também mudança do final para os personagens, há personagens que, não aparece no livro e sim no filme e vice-versa.

Capote cria personagens incríveis, realistas, que fazem você refletir e ver que temos várias Hollys no nosso dia a dia. Sem duvidas ele possui uma escrita leve e despretensiosa. Adorei te conhecer Capote.

É melhor olhar para o céu que lá viver

Ah deixo meu apelo para alguma editora relançar esta obra, pois ela é digna de se ter na estante mesmo tão curtinha.

E te garanto que você vai adorar esse clássico, depois de ler prepare a pipoca e se delicie com o filme.

Beijos até a próxima. 

Um comentário:

  1. <3
    Em maio vou ler e ver o filme.
    Super curiosa para conhecer essa história.
    bjão
    www.jeniffergeraldine.com

    ResponderExcluir

Facebook

Editoras Parceiras

Twitter

Instagram